Noticianahora.com.br

Presidência divulga nota e diz que Temer não interferiu no Decreto dos Portos

13/09/2017 - [08h:58m] - Direito - Justiça      Diminuir Aumentar

A Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República divulgou uma nota na noite de hoje (12) em que explica que o decreto que regulamentou
a exploração de portos foi debatido por um grupo de trabalho envolvido diretamente na discussão técnica do setor e diz que o presidente Michel Temer não
teve interferência no debate e nem exerceu qualquer pressão política que influnciasse no processo.

Segundo a nota, o grupo era constituído pelo Ministério dos Transportes, autarquias e quatro associações do setor e formado por mais de 25 pessoas, que
fizeram cerca "30 reuniões acompanhadas pela Advocacia-Geral da União e Controladoria do Ministério dos Transportes".

“Os documentos produzidos ao longo de 90 dias de trabalho são públicos, incluído gravações oficiais dos áudios das reuniões”, diz a nota, que acrescenta
que mais de 60 empresas tiveram seus processos de licitação prorrogados com as condições de investimento e modernização dos terminais e portos brasileiros.

Segundo a nota, Temer não teve “interferência no debate e acatou as deliberações e aconselhamentos técnicos, sem que houvesse qualquer tipo de pressão
política que turvasse todo esse processo.”

“Ao final de inquérito autorizado hoje pelo ministro do STF [Supremo Tribunal Federal] Luis Roberto Barroso, ficará provado que o presidente não tem nenhum
envolvimento em qualquer tipo de irregularidade em relação ao Decreto dos Portos [Decreto 9.048/2017], como já ficou provado em outras apurações mencionando
este setor.”

Nesta terça-feira,
Barroso decidiu abrir inquérito
para investigar o presidente Michel Temer e o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures, além de mais dois empresários, por suspeitas de crimes de corrupção
ativa, passiva e lavagem de dinheiro. O pedido de abertura de investigação foi feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para apurar suspeitas
de recebimento de vantagens indevidas dos envolvidos pelo suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A por meio da edição do Decreto dos Portos.

A defesa de Temer enviou, mais cedo, manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) na qual afirma que a empresa Rodrimar S/A não foi beneficiada pelo Decreto dos Portos.
Na manifestação, o advogado Antônio Claudio Mariz, representante de Temer, diz também que o pedido de abertura de investigação feito por Janot tem o objetivo
de enfraquecer o governo.
 

Fonte: Agência Brasil

Imprimir Página

Enviar comentário

Comentários Facebook

 

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Jotta Junior prefeito Hildon Chaves

Eventos

  • Abertura da Olímpiada Rio 2016

  • Linha de cosméticos a base de óleos essenciais foi lançada na noite de ontem (1º) em Salvador

  • Ensaio Fotográfico de Renata Borba

  • Reunião do PSC em Porto Velho

  • 1º Encontro Arjore de Comunicação


Este site não se responsabiliza pelo conteúdo de terceiros citados aqui. A opinião dos colaboradores e dos leitores não necessariamente representa a opinião do Notícia na Hora. Os direitos de veiculação de artigos aqui publicados pertencem aos seus respectivos autores e nossos colaboradores.
A divulgação é permitida desde que citados os créditos.