LISTA | Tudo que já sabemos sobre o filme “A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes”

Reunimos todas as informações já liberadas sobre a adpatação cinematográfica de "A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes" em 7 tópicos.

Após render mais de US$3 milhões de dólares à Lionsgate e conquistar um público gigante ao redor do planeta, a franquia Jogos Vorazes ainda tem muito à oferecer ao mundo do cinema. Após o anúncio que “A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes” – prequela de Jogos Vorazes – seria adaptado para as telonas, muitos têm se questionado sobre o andamento da produção.

Nesta matéria, apresentaremos 7 fatos que já sabemos sobre o longa, e para não entregar a experiência de alguém, informamos que o texto é livre de spoilers.

Confira também: RESENHA | A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, de Suzanne Collins

Produção

Nina Jacobson e Francis Lawrence em set de filmagens
Nina Jacobson acompanha Francis Lawrence (diretor) nas gravações de “Jogos Vorazes: A Esperança – Parte II”. (Murray Close).

Sabemos que o primeiro desafio da adaptação de qualquer filme é encontrar produtores que correspondam às expectativas e sejam capazes de gerenciar as questões administrativas, burocráticas e financeiras do filme. Na adaptação de Jogos Vorazes, os produtores Jon Kilik (Alexandre, A Última Noite) e Nina Jacobson (American Crime Story, Um dia) estiveram à frente dos 4 filmes, demonstrando grande sucesso no gerenciamento do mesmo.

Dessa vez, Nina Jacobson retorna como produtora junto à Brad Simpson (Guerra Mundial Z, Tudo à Perder). Ambos já trabalharam juntos como produtores em diversos filmes e séries, como American Crime Story (2018/19), Cadê você, Bernadette? (2019), Podres de Ricos (2018) e Diário de um Banana (2010).

A convivência e a experiência de ambos em trabalhos conjuntos podem facilitar e tornar a produção do longa orgânica e constante, fatores cujos resultados podem levar o filme ao mesmo sucesso que os da franquia Jogos Vorazes tiveram.

Divisão do Livro

Capa e Contracapa da edição brasileira de “A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes”. (Editora Rocco).

Desde o anúncio da adaptação, muitos questionamentos e rumores foram levantados sobre a possível divisão do livro em duas ou mais partes. Parte dessas suposições surgiram do fato que A Cantiga é um livro bem maior e denso que as demais obras da franquia (mais de 120 páginas em relação à Em Chamas). Em outubro, o portal Pipocas Club relatou que o diretor geral da Paris Filmes, Márcio Fracarolli, anunciou que “A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes” seria dividido em duas partes. A informação, segundo o portal, foi revelada em um dos painéis do evento nacional Expocine 2020.

Após a informação agitar bastante o fandom de Jogos Vorazes, a fã brasileira Amanda questionou Nina Jacobson sobre a divisão: “@ninajacobson nina!!!! por favor conte às pessoas que o filme de A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes não será um filme de duas partes. Por favor!!!” (tradução livre). Em resposta, Nina negou a informação:

Considerando o papel que Nina exerce – sobretudo na etapa de pré-produção do filme – é possível afirmar antecipadamente que A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes será um único filme.

Roteiro

Suzanne e Arndt retornarão para adaptação de "A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes"
Simon Beaufoy, Suzanne Collins e Michael Arndt, roteiristas de “Em Chamas” na première do filme, em 2013. (Lester Cohen).

Um dos principais elementos de uma adaptação cinematográfica é o roteiro. Aqui, além de ditar o ritmo do filme, o texto deve manter-se fiel ao livro que foi publicado no mundo inteiro. Na franquia Jogos Vorazes, a autora  Suzanne Collins participou ativamente da construção do roteiro, fazendo com que a franquia seja até hoje uma referência no quesito de adaptações.

Em A Cantiga, isso não poderia ser diferente: segundo o Deadline, Collins irá escrever a base de tratamento do filme e a encaminhará para Michael Arndt (Pequena Miss Sunshine, Oblivion), que por sua vez, adaptará o texto à linguagem e visualidade cinematográfica. Vale aqui ressaltar que não é a primeira vez que Michael Arndt trabalha em Jogos Vorazes. O filme da franquia que é melhor avaliado pela crítica, “Jogos Vorazes: Em Chamas”, também leve seu nome no roteiro. Isso eleva bastante as expectativas.

Direção

Francis Lawrence nos sets de "Jogos Vorazes: Em Chamas"
Francis Lawrence nos sets de “Jogos Vorazes: Em Chamas”, acompanhado de Jennifer Lawrence e Liam Hermsworth. (Tom Chapman).

Como já se pode perceber, a Lionsgate tem se movimentado – compreensivelmente – para não mexer em time que está ganhando. E com razão. Para adaptar A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, o já renomado diretor Francis Lawrence (Eu sou a Lenda, Água para Elefantes) retorna à sua cadeira que ocupa desde Jogos Vorazes: Em Chamas.

Desde 2018, muito antes de Collins ter anunciado o lançamento do livro, Francis já demonstrava interesse acerca de outro filme do mesmo universo. Mas, para ele, isso só faria sentido se a própria Suzanne Collins estivesse no roteiro: “Sinto que estou satisfeito, mas se Suzanne viesse com algo que ela ame, que faça parte do mundo e tenha sentido, eu iria ler, ouvir e me interessar em ver sobre o que se trata, com certeza“, disse em entrevista ao Screenrant.

Pouco mais de 2 anos depois, Francis Lawrence era anunciado como diretor do longa. Reafirmando sua satisfação em ter Suzanne no projeto, disse: “Sempre estive ansioso para voltar à este mundo, mas eu queria apenas ter certeza de que isso viria de um lugar orgânico. Para mim, isso vem sempre da Suzanne, ao invés de um estúdio insistindo para que todo mundo viesse para uma continuação ou prequela“.

Atmosfera

Atmosfera dos Jogos Vorazes reflete sociedade do Espetáculo. Em A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes, isso deve mudar.
Arte conceitual do cenário onde tributos são entrevistados antes dos Jogos Vorazes, no filme “Jogos Vorazes: Em Chamas”. Cores e atmosfera remetem à sociedade do espetáculo. (Dawn Brown).

Como já deixamos claro em nossa Resenha, A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes não é um livro infanto-juvenil. Não que a franquia Jogos Vorazes por definição o seja, mas estamos falando de uma obra com outro nível de maturidade e densidade. A proximidade com os Dias Sombrios faz com que a própria Capital, espetacularizada e escandalosa na trilogia original, ganhe feições traumáticas e tons cinzentos no enredo (aqui, esperamos que na fotografia também).

Durante a NYCC, ralizada em outubro, Nina Jacobson falou que os filmes terão aparências e sensações bem diferentes: “Esses são os 10°s Jogos Vorazes, ao contrário dos 75°s, de Em Chamas […] Os Jogos Vorazes são consideravelmente menos extravagantes do que se tornaram ultimamente, então é muito divertido ver o que eles são e o que costumavam ser“.

Segundo a produtora, a ambiguidade e atmosfera dos filmes também se diferem em relação ao ponto de visão dos protagonistas: “Ver um personagem da Capital com um ponto de vista que o conduz por boa parte da história é algo que nunca fizemos. Nós já tivemos grandes personagens da Capital mas nós apenas os vimos realmente através doos olhos dos nossos protagonistas dos Distritos“.

Distrito 12

Katniss de Jogos Vorazes e Lucy Gray de A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes
Katniss Everdeen, protagonista de “Jogos Vorazes”, e fan art de Lucy Gray, protagonista de “A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes” (Lionsgate/art.of.basilio).

Embora saibamos que o ponto de visão do filme é voltado para Snow, a personagem Lucy Gray Baird ganha muito destaque na trama, como representante do Distrito 12 nos Jogos. Aqui, Nina Jacobson deixa muito claro as diferenças entre ela e Katniss, que representou o mesmo distrito na trilogia original:

“O personagem da Lucy é muito mais consciente do poder de sua feminilidade. Katniss é muito mais quieta, uma mulher de poucas palavras”, disse em entrevista para a NYCC. “Lucy como performer é um tipo muito diferente de personagem… Katniss se volta muito para a sobrevivência. Ela caça por sua família, ela passa pelos Jogos porque promete para sua irmã que voltará. Lucy é mais misteriosa e está jogando do seu próprio jeito indo para o meio da multidão. Lucy é divertida, uma personagem muito diferente para trazer às telas“.

Ainda que extremamente diferentes, Jacobson afirmou que a presença de Lucy irá estabelecer um “tecido conectivo” entre A Cantiga e Jogos Vorazes, a medida que expande a história do Distrito 12 e se encaminha para o cenário que conhecemos nos primeiros filmes da franquia. “Eu acredito que os primeiros filmes ficarão ainda mais ricos por existirem em um mundo com essa prequela“, concluiu.

Data de Estreia

Nesse ponto, infelizmente, o filme pode demorar um pouco mais do que alguns fãs mais ansiosos esperam. Enquanto os três últimos filmes da franquia Jogos Vorazes encontraram lugares bastantes confortáveis no calendário da Lionsgate (novembro de 2013, 2014 e 2015), A Cantiga dos Pássaros e das Serpentes ainda está em uma fase muito inicial para ter uma data de estreia definida.

Como está em pré-produção, o filme ainda precisa dar longos passos para que comece a ser gravado. Segundo o site ScreenRant, é razoável acreditar que demore cerca de um ano para acertar o roteiro e atravessar a pré-produção. Dessa forma, seria possível iniciar a fase de produção e gravações ainda em 2021.

Ainda segundo o site, contando com as etapas de pós-produção e distribuição, seria bastante razoável que a Lionsgate decidisse por manter a tradição e lançar o filme em Novembro de 2022, embora choques de calendário poderiam fazer com que segurassem o longa para 2023.

Arquiteto e Urbanista aficionado por Cenografia e Cinema. Administrador do Sobre Sagas desde 2013 e apaixonado por adaptações cinematográficas, especialmente de fantasia.

Deixe seu comentário